Caminho Espiritual.

Inicio hoje o quadro Caminho Espiritual.
A cada semana teremos a companhia de uma pessoa que deixou um rastro de luz para a humanidade.
Quem nos indicará o caminho, ao longo desses dias, é Madre Teresa.
Avancemos.

Pe. Adriano Pires

10403108_562225687215352_4786353633924742917_n

Publicado em Sem categoria

Agosto/ 2014: Sejamos missionários no ambiente escolar

31/07/2014

dom eduardo_cf


Brasília, 1º de Agosto de 2014. 

Caros párocos e demais responsáveis pela evangelização da juventude no Brasil.

 

“Todos aqueles que ouviam o menino ficavam maravilhados

com sua inteligência e suas respostas.” (Lc 2,47)

Em diversas partes, as Sagradas Escrituras nos mostram a força da presença de Jesus que“ensinava como alguém que tem autoridade, e não como os escribas e fariseus” (Mt 7,28)! Ensinar “com autoridade” é falar com convicção e coerência. Estes dois elementos são essenciais e complementares. As verdades ensinadas e defendidas só são escutadas com respeito, quando aquele que fala empenha-se em viver aquilo que prega. Por outro lado, este testemunho de vida necessita de fundamentação sólida para ser mais incisivo e duradouro na vida das pessoas.

Entramos no mês de agosto, mês vocacional. É um momento bem propício para revisarmos a vivência de nossa vocação. Ao escutar a voz de Deus que nos chama para um determinado estado de vida e para um serviço qualificado à humanidade, nos sentimos convocados a fortalecer nossas convicções e a ser mais coerentes.

Somos tentados e pressionados por todos os lados e o desafio de viver com coerência a vocação cristã nos impõe aprofundamento da nossa fé. Dentro e fora de nós existem forças que nos obrigam às decisões. Ao lado de nossa tendência de comodismo e fuga, encontra-se uma cultura que avança em diversos aspectos questionando-nos constantemente sobre os fundamentos de nossa fé.

Articular fé e razão se torna, portanto, um imperativo em nossa vocação de discípulos missionários de Cristo. Estamos convencidos de que o processo de amadurecimento da fé exige raízes que lhe garantam consistência, caso contrário estará fadada a se esvaziar diante das crises e dos questionamentos que os dias atuais se nos impõem. Assim, também, a Igreja não admite uma intelectualidade desconectada das outras dimensões da vida humana, inclusive da dimensão religiosa. O ser humano é belo quando considerado em sua totalidade!

Mais do que nunca, a Igreja está sendo chamada a entrar no mundo acadêmico e universitário e exercer sua vocação na história de iluminar a vida, defender os princípios que a dignificam e defendê-la de ideologias relativistas, discriminatórias, manipuladoras, tendenciosas, reducionistas. “À medida que avança o processo de escolaridade, em especial na fase universitária, os jovens se fascinam pela racionalidade das ciências e tecnologias, pela eficiência e organização da sociedade produtiva e do mercado, pelo compromisso com a transformação social, de tal forma que sua fé pode entrar, em alguns casos, em conflito com a razão; mas pode, também, amadurecer com a contribuição dessa razão. A ação pastoral deve favorecer a base intelectual da sua fé para que saibam se mover de maneira crítica dentro do mundo intelectual, acompanhados de vida cristã autêntica para que possam atuar responsavelmente no mundo do qual fazem parte.” (Doc. 85 CNBB, 219)

 

O Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil no Brasil, acontecido em dezembro passado à luz do Documento 85 da CNBB, ao refletir sobre a 7a. Linha de Ação – DIÁLOGO FÉ E RAZÃO – definiu, assim, para os próximos anos, as duas PISTAS DE AÇÃO:

1.     criar espaço de diálogo sobre o tema fé-razão nas comunidades e no mundo acadêmico;
2.     fomentar o Setor Universidades, articulando as diferentes experiências já existentes.

Nessas prioridades, notamos o pedido para que este diálogo aconteça tanto nos ambientes eclesiais quanto na universidade, por meio da força conjunta das experiências que já existem. Ao contemplar nossos universitários que estão presentes em nossas Comunidades, sentimo-nos responsáveis por auxiliá-los a valorizar a razão para amadurecer a fé; já nos ambientes universitários somos convocados a mostrar que a fé só tem a somar com as reflexões acadêmicas. Mesmo quando estas são questionadas pela fé, percebemos nisso um contributo significativo e não um empecilho para o desenvolvimento e o progresso, afinal de contas a religiosidade é uma das dimensões intrínsecas ao ser humano.

A Igreja pode ousar mais na missão no mundo da cultura. Tanto a Universidade quanto as escolas de Ensino Médio estão, em muitos lugares, carentes da presença da Igreja em sua missão de educadora. Eis algumas sugestões que poderiam fazer a diferença nestes ambientes:

 

1)    reunir periodicamente os jovens universitários que frequentam as celebrações eucarísticas paroquiais e, por meio do acompanhamento de um casal designado para isto, auxiliá-los no exercício do diálogo fé-razão, capacitando-os como especiais protagonistas cristãos em suas próprias universidades;

2)    motivar os jovens mais engajados da paróquia a exercitarem a cultura da acolhida e do encontro, organizando uma espécie de “plantão universitário” na paróquia para atender e orientar os jovens que chegam de outras cidades e buscam informações, hospedagem, orientação espiritual;

3)    divulgar os documentos e mensagens da Igreja que versam sobre diversas áreas socioculturais, facilitar sua aquisição e incentivar a leitura, principalmente entre os jovens, para que tomem consciência da posição católica frente a todos os campos que atingem a vida da pessoa humana;

4)    criar, a partir dos próprios universitários engajados na paróquia, subsídios práticos(folders, spots, vídeos, etc.) sobre os conteúdos fundamentais da Doutrina Social da Igreja para serem divulgados de maneira rápida nos ambientes eclesiais e universitários, bem como pelas redes sociais;

5)    promover fóruns e seminários nos estabelecimentos de ensino superior localizados no território paroquial, contribuindo com aprofundamento de temas mais polêmicos com relação à bioética, política, economia, cidadania, sexualidade, etc.;

6)    visitar periodicamente as universidades e escolas presentes no território paroquial, criando vínculos e oferecendo assistência religiosa e serviços pastorais, como missas, sacramentos, palestras, grupos bíblicos, bênçãos, ensino religioso, iniciativas ecumênicas, homenagens em dias festivos, atendimentos, etc.;

7)    descobrir os professores universitários que frequentam regularmente a paróquia e recolher suas sugestões de como a Igreja poderia se fazer mais presente nos ambientes acadêmicos, contribuindo, assim, com a qualidade da cultura, da formação, das reflexões, etc.;

8)    promover e/ou acompanhar a pastoral nas universidades presentes no território paroquial, segundo os documentos e as orientações da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e Educação, Setor Universidades, da CNBB;

9)    solicitar às universidades para que incentivem e organizem grupos de alunos estagiários e voluntários para realizarem projetos sociais nas áreas mais carentes do território paroquial;

10) incentivar a organização da Pastoral da Juventude Estudantil (PJE) nas Escolas de Ensino Médio e a celebração da Semana do Estudante (5 a 11 de agosto), segundo as orientações contidas no site www.pjebr.org.

 

A edificação do Reino pela Igreja e a construção de um mundo novo, pela sociedade, falam a mesma linguagem quando possuem os mesmos ideais de vida plena para a pessoa humana e para o bem comum. Fé e razão, religião e ciência, são elementos intrinsecamente ligados. Alguns temas comuns avançam quando se somam a força da razão e o valor da fé: democracia, diálogo, felicidade, transparência, direitos individuais, liberdade, justiça, igualdade, respeito, vida plena para todos. “A Igreja continua profundamente convencida de que fé e razão se ajudam mutuamente, exercendo, uma em prol da outra, a função tanto de discernimento crítico e purificador como de estímulo para progredir na investigação e no aprofundamento” (Fides et Ratio, 100).

Peçamos a intercessão de Nossa Senhora para que nos sintamos cada vez mais missionários de uma Igreja edificada na história para exercer sua missão delicada e primordial de educadora de valores e defensora da vida das pessoas.

Com estima e agradecido por tudo aquilo que sua paróquia e estruturas já têm feito a favor dos jovens universitários e das instituições acadêmicas aos seus cuidados, abraço-os a todos com minhas orações.


Dom Eduardo Pinheiro da Silva, sdb

Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB

Publicado em Sem categoria

Comissão para a Juventude lança caminho preparatório para DNJ

Comissão para Juventude propõe caminho a ser seguido para a celebração do DNJ.

 

O Dia Nacional da Juventude (DNJ) será celebrado oficialmente no terceiro domingo de outubro. Com o tema “Feitos para sermos livres, não escravos” (CAPYM, 430) e a iluminação bíblica “Eis o que diz o Senhor: Praticai o direito e a justiça, e livrai o oprimido das mãos do opressor” (Jr 22, 3a), a celebração quer dar continuidade ao trabalho da Campanha da Fraternidade deste ano. Desde já, a Comissão para a Juventude sugere que os jovens se preparem para o evento. A comissão propõe um caminho a ser seguido, que vai desde a Jornada Diocesana da Juventude, que ocorreu em maio, até o DNJ. Esse processo quer  proporcionar a unidade de todos os grupos em vista do fortalecimento da missão, levando os jovens a dar uma continuidade no trabalho de Evangelização (foto).

O Dia Nacional da Juventude
O DNJ segue uma tradição semelhante à da Campanha da Fraternidade, acentuando a dimensão social da fé, enfocando os problemas que afligem a juventude. Várias dioceses brasileiras já comemoram o DNJ, e muitos Setores Juventude se organizam para que os jovens possam debater e refletir, com outros jovens, sobre a sua realidade.A proposta é que os assessores, coordenadores e animadores da Pastoral Juvenil utilizem o tema da Campanha da Fraternidade. O referido estudo, depois de refletido das mais diversas formas, deve culminar em uma pesquisa e mapeamento das formas de tráfico e exploração humana que se fazem presentes em cada uma das realidades específicas. O objetivo é que se tome consciência da realidade em que se está inserida cada juventude.A Comissão para a Juventude elabora, anualmente, um subsídio com pistas e sugestões de encontros para os grupos de jovens. Esse ano, além da novidade do caminho preparatório, o material está dividido em momentos para que cada expressão realize os encontros de acordo com o seu carisma. Para acessá-lo, basta clicar aqui. Para adquirir a edição impressa, basta fazer o pedido nas Edições CNBB – o valor é de R$3,oo.

Para o assessor da Comissão para a Juventude, da CNBB, padre Antônio Ramos, o caminho missionário quer dar continuidade às ações, para que não haja atividades desconexas. Se você quer entender melhor como é o caminho de preparação proposto pela comissão, confira este vídeo:

Faça o download da carta aos jovens, assessores e pessoas dedicadas à evangelização juvenilaqui.


O que fazer se, na sua diocese, o DNJ ainda não é celebrado?
O DNJ já é um evento histórico e tradicional em todo o país; porém, em algumas regiões, não é celebrado a nível diocesano. O Setor Juventude Diocesano é quem tem a responsabilidade de animar e encaminhar o projeto.
avatar

Equipe Jovem de Comunicação – Jornalismo


Publicado em Sem categoria

Apresentado logo da JMJ Cracóvia 2016

Cracóvia (RV) – Foi divulgada nesta quinta-feira, 3 de julho, a logomarca da JMJ Cracóvia 2016.

A logo é composta por três cores: azul, vermelho e amarelo que se referem ao tema da JMJ: “Bem-aventurados os misericordiosos, pois obterão misericórdia” (Mt 5,7). A gráfica da logo representa o formato geográfico da Polônia, com uma cruz que retrata Jesus Cristo, centro do encontro.

Os raios da Divina Misericórdia saem da cruz, com as mesmas cores e formas da pintura “Jesus confio em Ti”, realizada por pedido de Jesus quando de Sua aparição à Santa Faustina Kowalska.

Cracóvia é assinalada com um ponto circular que representa também os jovens e que foi usado muitas vezes com o mesmo significado nas logos das JMJ anteriores. A JMJ Cracóvia 2016 será realizada de 26 e 31 de julho de 2016. A chegada do Papa Francisco está prevista para o dia 28.

Rafael Belincanta conversou com o Padre João Chagas, do Pontifício Conselho para os Leigos, sobre a escolha da logo: RealAudioMP3 

(RB)

Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/bra/articolo.asp?c=811093
do site da Rádio Vaticano cropped-10468348_10152392448086284_8486795691130891098_n.jpg

Publicado em Sem categoria

7ª Formação Missionária para seminaristas e jovens presbíteros (Formise)

Para trabalhar o tema “A alegria do Evangelho e a dimensão ministerial da missão”, o Centro Cultural Missionário (CCM) de Brasília, em parceria com a Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada e as Pontifícias Obras Missionárias (POM), realiza a 7ª Formação Missionária para seminaristas e jovens presbíteros (Formise). O curso teve início no dia 29 de junho, e se estende até o dia 5 de julho, e conta com a participação de religiosos de diversas regiões do Brasil.

Redescobrir a missão à luz do ministério ordenado, aprimorar o estudo da teologia e da espiritualidade da missão e fortalecer a consciência missionária num horizonte universal são alguns dos objetivos do curso, que visa, também, intensificar a articulação dos seminaristas por meio dos Conselhos Missionários de Seminários (Comise).

A programação inclui reflexões sobre a dimensão ministerial da Missão, o missionário presbítero ministro da Palavra, da Liturgia, da caridade e ministro Ad Gentes além-fronteiras.

O arcebispo de Palmas (TO) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, dom Pedro Brito Guimarães, abriu o estudo da manhã do dia 30 com o tema “Viver a Missão presbiteral anunciando a alegria do Evangelho”.

Dom Pedro falou do presbítero como homem da alegria e da esperança. “O presbítero, como discípulo de Jesus, tem a sagrada obrigação de irradiar para o mundo a alegria do Cristo ressuscitado. A alegria deve ser o distintivo de toda a vida do presbítero: quando anuncia o Evangelho, quando trabalha no atendimento ao povo, quando visita as famílias, quando celebra a Eucaristia e administra os demais sacramentos”, disse.

Segundo o arcebispo, o segredo da vida presbiteral está em seguir e servir a Jesus. “É esta motivação que dá sentido a uma verdadeira vocação. A perseverança de um presbítero na missão depende da contínua adesão ao estilo de vida missionária de Jesus”, afirmou.

Para o secretário executivo do CCM, padre Estêvão Raschietti, “a iniciativa do curso surge como um estímulo para que aconteça efetivamente uma formação missionária mais aprofundada nos seminários do Brasil, em vista de realizar o 2º Congresso Missionário Nacional de Seminaristas previsto para julho de 2015”.

CNBB com informações das Pontifícias Obras Missionárias
Publicado em Sem categoria

Dom Eduardo Pinheiro convida a Igreja a celebrar um ano da JMJ Rio 2013

O bispo auxiliar de Campo Grande (MS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Eduardo Pinheiro da Silva, em sua carta mensal sobre a evangelização da juventude, convida a Igreja a comemorar um ano da realização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013. O bispo também destaca a necessidade do acompanhamento aos jovens, feito por adultos,  chamado de ministério da assessoria. Ele lembra que esta é uma das urgências apontadas no Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil no Brasil, que aconteceu em dezembro de 2013. Dom Eduardo dá sugestões para suprir a carência na “quantidade e na qualidade” de acompanhantes e de assessores. “O clamor dos jovens por assessoria não pode ser mais ignorado ou minimizado. Que o nosso amor afetivo a eles potencialize nosso amor efetivo, encontrando soluções criativas para atender a esta urgência!”, alerta. Confira o texto na íntegra:


Caros párocos e demais responsáveis pela evangelização da juventude no Brasil 

“Enquanto conversavam e discutiam,

o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles.”

(Lc 24,15)

Somos, hoje, estes “discípulos de Emaús” do Evangelho de Lucas, alcançados diariamente pelo Senhor que nos orienta e nos fortalece no caminho… e no caminhar! É o Mestre que vem ao encontro da realidade dos seus discípulos, como fiel Acompanhante e exímio Assessor! Revigora nossas forças e nos enche de alegria, como fez ao nos proporcionar a JMJ Rio 2013, cuja festa de um ano celebramos neste mês de julho.

Elevamos aos céus uma grande Ação de Graças pelos frutos que a Jornada nos tem, ainda hoje, nos proporcionado: são inúmeros, como “as areias das praias do mar” (Gn 22,17)! Parabéns a todos aqueles, adultos e jovens, que não só acreditaram e se envolveram com este presente de Deus, mas aproveitaram para renovar seu amor à Igreja e seu compromisso pela causa juvenil.

O entusiasmo de muitos jovens nestes últimos tempos tem gritado aos nossos ouvidos, suplicando-nos a existência de mais adultos capacitados para acompanhá-los em sua busca de crescimento como discípulos missionários de Jesus Cristo. Eles, também, são aqueles “discípulos de Emaús” abertos a nós, adultos, que aceitamos ser embaixadores do Ressuscitado em suas vidas.

Vamos festejar este 1º ano de Jornada (cf. sugestão no site http://www.jovensconectados.org.br) comprometendo-nos a encontrar e capacitar mais adultos para o ministério da assessoria! Estamos convictos de que “na evangelização da juventude a assessoria deve constituir uma preocupação cuidadosa por parte de toda a Igreja, em todos os níveis”, mas é lamentável constatar que “a dificuldade principal para evangelizar as novas gerações” tem sido “a falta de pessoas com perfil adequado para este ministério. […] Chama atenção a ausência de padres que abracem um trabalho de acompanhamento sistemático dos jovens. Os religiosos e leigos também estão muito distantes.” E queremos mais: queremos “resgatar no coração de todos a paixão pela juventude” (Doc 85, nos 203-205)! Quando uma pessoa, um ministro de Deus, um consagrado está apaixonado pelos jovens, ele é capaz de investir, de descobrir novos caminhos, de orientar com competência a vida das novas gerações a ele confiadas. Sem esta “paixão” não há solução! Em grande parte, a causa dos problemas dos jovens não está nos próprios jovens. Está em nós e em nossas estruturas que não os acompanham adequadamente nem valorizam seu protagonismo juvenil.

O Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil no Brasil, acontecido em dezembro passado à luz do Documento 85 da CNBB, destacou a 6ª. Linha de Ação – MINISTÉRIO DA ASSESSORIA  – como uma de suas urgências pastorais. E definiu, assim, para os próximos anos, as duas PISTAS DE AÇÃO:

  1. 1.      criar equipe de assessores em rede, garantindo a articulação, a capacitação, a animação e a formação contínua para assessores e acompanhantes;
  2. 2.      disponibilizar assessores como opção efetiva pelas juventudes.

Estas duas urgências nos chamam a atenção tanto para a capacitação dos vários assessores já existentes, quanto para a descoberta de novos adultos com perfil para esta missão. Onde já existam pessoas envolvidas neste serviço é necessário criar situação de encontro entre elas para a melhoria deste trabalho eclesial. Onde isto ainda não acontece, é necessário um posicionamento mais consciente e concreto que garanta convites explícitos e envolvimento de outras pessoas mais liberadas. O clamor dos jovens por assessoria não pode ser mais ignorado ou minimizado. Que o nosso amor afetivo a eles potencialize nosso amor efetivo, encontrando soluções criativas para atender a esta urgência!

Será que ainda não estamos suficientemente sensíveis aos sinais esperançosos de nossos jovens? Temos menosprezado a força juvenil diante dos desafios desta mudança de época? Os sinais dos tempos trazidos de maneira intensa pelos jovens são acolhidos e refletidos em nossos ambientes paroquiais e espaços comunitários? O distanciamento de tantos jovens que já estiveram conosco um dia (grupos, movimentos, catequese) não têm mais nos incomodado? Aos que têm apostado na juventude a Igreja agradece: “Obrigado aos irmãos bispos, aos sacerdotes, aos seminaristas, às pessoas consagradas e aos fiéis leigos que acompanham aos jovens (…) em sua peregrinação a Jesus”(Francisco, JMJ Rio, 25/07/2013).

Há tantas coisas que podemos fazer para suprir a carência na quantidade e na qualidade de acompanhantes e de assessores das novas gerações! Eis algumas sugestões:

1) definir em cada paróquia um casal (adulto ou jovem-adulto) que se responsabilize de maneira prioritária pela evangelização da juventude local;

2) promover anualmente um encontro dos responsáveis paroquiais das juventudes: assessores, catequistas, educadores, consagrados/as, pais e adultos ligados à Pastoral Familiar, Pastoral da Educação, Pastoral Vocacional, etc.;

3) criar e acompanhar a rede de assessores de jovens, para um melhor serviço a eles;

4) averiguar se os adultos que acompanham os jovens estão capacitados em: processo de educação na fé, projetos pessoais e grupais, cultura juvenil, espiritualidade, teologia etc.;

5) repassar material específico para a formação dos adultos, como, por exemplo os publicados pela CNBB: Documento 85, Estudos 76, Estudos 103, “Aos Jovens com Afeto”, Texto-base da CF 2013,“Civilização do Amor – projeto e missão” (CELAM);

6) investir nos assessores para que participem dos espaços formativos oferecidos pela CNBB (Curso EAD de Capacitação para Acompanhantes de Adolescentes e Jovens:  www.eadseculo21.org.br/ead ; Capacitação de Assessores: http://www.jovensconectados.org.br) e por aqueles Centros e Institutos que servem à Igreja nesta missão;

7) garantir que em cada grupo, movimento, atividade juvenil haja sempre a presença acolhedora, educativa e capacitada de assessores adultos;

8) descobrir e convidar novos assessores para exercerem este delicado e urgente ministério junto aos jovens e aos seus grupos;

9) liberar os assessores de jovens de outros encargos na paróquia;

10) garantir a estabilidade do assessor escolhido bem como a sua substituição periódica, evitando, com isto, tanto as mudanças frequentes, quanto a permanência por longo tempo.

Assessorados por Deus que prometeu estar conosco “até o fim dos tempos” (Mt 28,20), sintamo-nos comprometidos com a qualidade de vida de nossos jovens. Peçamos, portanto, ao Espírito Santo, sabedoria, ternura e criatividade aos pais junto aos seus filhos, aos professores com seus alunos, aos catequistas no meio dos catequizandos, aos párocos e consagrados entre os jovens.

Maria, que acompanhou do começo ao fim seu Filho, nos ensine, no meio dos jovens, a acolhê-los por vocação, a abraçá-los com carinho, a atendê-los em suas necessidades, a preocuparmo-nos quando eles ignoram nossos cuidados, a provocá-los à maturidade da missão, a acompanhá-los em sua via-sacra cotidiana, a chorar suas dores e sua morte, a permanecer fiel a eles mesmo quando não sabemos o que fazer aos pés da cruz, a acreditar em seus sonhos de vida nova e na sua capacidade de transformação.

Grande abraço, queridos apaixonados e apaixonadas pela nossa juventude!

 

Dom Eduardo Pinheiro da Silva, sdb
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB

Publicado em Sem categoria

Missa pelos 10 anos TLC Salto Grande e Cristo Show

Celebrada no dia 20/06, na Paróquia Nossa Senhora do Patrocínio em Salto Grande , Dom Salvador Paruzzo realizou missa em ação de graças pelos 10 anos do TLC de Salto Grande e logo após a missa, confraternização e CRISTO SHOW no Salão Paroquial
10304565_713041908743847_1488304027168361180_n 10304981_713044348743603_5046825695317929559_n 10391458_713047862076585_1323384093214400379_n 10427235_713047912076580_3756199696555322946_n 10432973_713047402076631_5288524612307405915_n
Publicado em Sem categoria

Pe. Adriano Pires - facebook

DNJ 2013 A Santa Missa

A SANTA MISSA

DNJ 2013 – 3º Festival de Música Católica

DNJ 2013 - 3º Festival de Música Católica

DNJ 2013 A caminhada

A caminhada

3 DNJ – diocese de Ourinhos SP

3 DNJ - diocese de Ourinhos SP

DNJ 2013 – DIA 20 DE OUTUBRO, EM MANDURI!
PROGRAMAÇÃO e TRANSMISSÃO da JMJ RIO 2013
A quem eu te enviar, irás (Jr 1, 7b)

Campanha Missionaria 19-20/10/2013

MISSÃO JOVEM Setor Juventude Ourinhos
JIM – Jovens em Missão

É um movimento de jovens cristãos de espiritualidade missionária e comboniana

♥ Jovem de fé aguarda pelo Senhor … “mais do que sentinela pela aurora” * Sl 130,6
Pe. Adriano Pires, Assessor Diocesano Setor Juventude
Obrigado pela visita!
  • 19,280 hits

Galeria de fotos

CF 2013 Oraçao e subsidios
DIA MUNDIAL DAS VOCAÇÕES 2013
Desejo que os jovens, no meio de tantas propostas superficiais e efémeras, saibam cultivar a atracão pelos valores, as metas altas, as opções radicais por um serviço aos outros seguindo os passos de Jesus. Amados jovens, não tenhais medo de O seguir e de percorrer os caminhos exigentes e corajosos da caridade e do compromisso generoso. Sereis felizes por servir, sereis testemunhas daquela alegria que o mundo não pode dar, sereis chamas vivas de um amor infinito e eterno, aprendereis a «dar a razão da vossa esperança» (1 Ped 3,15). Bento XVI
CF 2013 Pistas para o Plano Pastoral
CRUZ PEREGRINA – Encontros Celebrativos

arquivo pdf

Nossa verdadeira paz é Cristo. Ef.2
junho 2017
S T Q Q S S D
« ago    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
Aniversario Diocese 30 Dezembro 1998-2012

Ordenação Diácono AGNALDO

Campanha Missionária 2013 Juventude em Missão

A quem eu te enviar, irás .Jr 1, 7b

YOUCAT Book trailer
YOUCAT video
YOUCAT: O que são símbolos da fé?
JMJ Rio2013 Mensagem Bento XVI
Cruz Peregrina em Salto Grande ACOMPANHE
Cruz Peregrina em IPAUSSU
Hino JMJ-Rio2013

Sou marcado desde sempre
com o sinal do Redentor,
que sobre o monte, o Corcovado,
abraça o mundo com Seu amor.

♥ Cristo nos convida:
"Venham, meus amigos!"
Cristo nos envia:
"Sejam missionários!"

Juventude, primavera:
esperança do amanhecer;
quem escuta este chamado
acolhe o dom de crer!
Quem nos dera fosse a terra,
fosse o mundo todo assim!
Não à guerra, fora o ódio,
Só o bem e paz a não ter fim.

Do nascente ao poente,
nossa casa não tem porta,
nossa terra não tem cerca,
nem limites o nosso amor!
Espalhados pelo mundo,
conservamos o mesmo ardor.
É Tua graça que nos sustenta
nos mantém fiéis a Ti, Senhor!

Atendendo ao Teu chamado:
"Vão e façam, entre as nações,
um povo novo, em unidade,
para mim seus corações!"
Anunciar Teu Evangelho
a toda gente é transformar
o velho homem em novo homem
em mundo novo que vai chegar.

2* FESTIVAL MUSICA CATÓLICA CLASSIFICAÇÃO OFICIAL
DNJ 2012 Salto Grande 28/10

Cartaz e subsidio

DNJ 2012 Pe Adriano
DNJ2012 video-clip

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Deixa-me ser jovem, não me impeça de lutar;
SEMANA VOCACIONAL E NOITE DOS TALENTOS Ourinhos Agosto de 2012

Noite dos Talentos 10 de agosto

Via Sacra DMJ 2012
DMJ 2012 Piraju
Alegrai-vos sempre no Senhor! Fil 4,4

Alegrai-vos sempre no Senhor! Fil 4,4

DMJ 2012 Piraju – video
abaixe o livreto em pdf
Fotos Ordenação Sacerdotal PE.RIVANILDO

♥ 30/06/2012 - clique na foto...

Juventude Missionaria – POM e Links
Arquivos: 1º Festival de Música Católica 2011 foto-link
1 Festival de Música Católica Classificação

A Classificação do Festival é a seguinte:

1º Lugar: Gerson Simões
Cidade: Chavantes
Música: Roga por nós, ó mãe
Compositor: Arthur Casolari Araújo Mansur David
Premiação: Troféu + R$ 300,00 + Gravação no Studio Cristiano Goulart

2º Lugar: Ministério Sempre mais alto
Cidade: Salto Grande
Música: Deus tá aqui
Compositor: Rafael Henrique Moralez
Premiação: Troféu + R$ 200,00

3º Lugar: Ministério Getsemani
Cidade: Campos Novos Paulista
Música: Espírito de Deus
Compositores: Guilherme e Josias
Premiação: Troféu + R$ 100,00

CHIARA LUCE BADANO Um designo maravilhoso
♪ Musica ♪ ♪

DEIXA-ME SER JOVEM

D A7 D
Deixa-me ser jovem não me impeça de lutar.

Bm Em A7 D
pois a vida nos convida, a uma missão realizar.

D A7
Deixa-me ser jovem, ser livre pra sonhar.

G A7

Não reprima não reprove, o meu jeito de amar.

A7

Fazer também a história e não ser ignorado.

G A7 D

Preservar os meus valores e não ser massificado.
Muitos jovens sem saber esbanjaram sua idade.
Alterados se entregaram aos dragões da sociedade.
Não me sinto revoltado, mas quero me explicar.

De tanto ser explorado eu me pus a protestar.
Não nasci para servir como peça de engrenagem.
Nem ser coisa que se vende ou se compra por vantagem.

Quero ser considerado como ser filho de Deus.
Realizar os meus anseios cada vez sendo mais eu.

Pe. Adriano e Jovens a JMJ 2011-Madrid
Oração da Campanha Chega de violencia
Deus da Vida, da beleza, das cores e dos sonhos, ajuda-nos a construir uma sociedade mais justa, amorosa e pacífica, onde possamos viver irmanados e de forma digna e feliz. Deus Libertador, olha para a juventude brasileira e afasta dela todas as formas de violência, principalmente o extermínio, que derruba tantos jovens cheios de sonhos, projetos e potencialidades. Pai/Mãe da Juventude, Tu sabes o quanto gostamos de viver, de sonhar, de brincar, de namorar e de fazer tantas coisas boas. Não permita que roubem de nós esses direitos tão essenciais. Tira de nós toda indiferença e desesperança. Que não deixemos de acreditar em nossos sonhos e de organizar as nossas lutas em busca da Civilização do Amor, do Outro Mundo Possível, do Reino de Deus. Somos teus discípulos e tuas discípulas jovens que, de mãos dadas e com os pés fincados no chão, seguimos em marcha contra a violência e o extermínio de jovens, numa estrada banhada de sangue, que desejamos ver, sempre mais banhada de flores, sonhos e de justiça. Caminha conosco, Senhor, porque a luta não é fácil e somente em Ti encontraremos força e coragem para não ter medo e nem desistir da marcha. A vida da juventude está clamando por nossa ação e, como a jovem Maria, dizemos SIM a este chamado e, com cores e jeitos diversos, pintaremos a bandeira da Paz tão desejada por nossos povos. Amém, axé, awerê, aleluia!
Marcha CHEGA de Violencia II JJJ
Beyoncé e choro da recém-nascida Blue Ivy Carter
Jovens “Vinde e Vede” – Forania de Ocauçu 2012
DNJ Ourinhos 2010 Fotos